quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Ora ai está!! - É este o mundo que vivemos...



Há cada vez mais britânicos a deixarem os códigos da Internet a familiares para que estes, entre outras coisas, actualizem o seu estado no facebook depois da sua morte
O motivo prende-se com a crescente procura na manutenção destas identidades digitais por parte dos britânicos.
Depois de morrerem querem que a família mantenha viva a sua memória, não em casa, por intermédio de álbuns de fotografias, mas através de actualização de fotografias digitais e vídeos caseiros que possam estar disponíveis nas redes sociais, e sejam frequentemente actualizados.
Razão pela qual a União Europeia está já a trabalhar numa lei que visa o "direito de ser esquecido online".
Viviane Reding, comissária de justiça da UE disse recentemente que " as pessoas têm o direito - e não apenas a possibilidade - de retirar o consentimento para processamento de dados". Ou seja, de optar se querem ou não a manutenção online das suas informações.
* Há cada vez mais britânicos a deixarem os códigos da Internet a familiares para que estes, entre outras coisas, actualizem o seu estado no facebook depois da sua morte Acho bem, uma pessoa morre em fica sem facebook... não pode ser!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário