segunda-feira, 25 de agosto de 2014

As ferias estão ótimas maravilhosas.
Hoje fui a uma praia nova.. Dona Ana em Lagos. Linda mas com um defeito as 18:00 não ha uma pontinha de sol na praia.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Adeus Angola

Quem me é próximo ouviu me dizer muitas vezes que era incapaz de deixar o meu país para trabalhar noutro sítio, que não me imagino longe das MINHAS pessoas. Quem me conhece bem também sabe que nunca digo que não a um desafio, ainda por cima desta dimensão .
Pensava nesta experiência, no quanto enriquecedora poderia ser , viver noutro país, noutra cultura, viver numa casa com mais 7 pessoas, inaugurar um clinica em Angola, não podia ser mais desafiante, não podia dizer que não.
Posso dizer que sim, que foi, que cresci imenso, que passei por coisas que nunca pensei passar, sofri muito, as saudades deram cabo de mim, passei por coisas que nunca pensei passar. Mas dizem que o que não te mata torna te mais forte. Também tive momentos muito bons 
Levo muita coisa boa, principalmente 7 pessoas no meu coração. Pessoas que partilharam comigo esta aventura, que estiveram sempre do meu lado, que foram o apoio e a força que encontrei para regressar e me aguentar aqui.
Esta experiência chega hoje ao fim. Estou muito contente, consigo ver o lado positivo e voltar para o lugar onde sou feliz. As vezes é preciso passar por certas coisas para entender o que realmente temos de bom, o nosso país é maravilhoso e não o troco por mais nenhum. Estar juntos dos que amo.

Talvez um dia sinta saudades disto... ou não! 

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Distancia

Esta aventura serviu para imensas coisas, uma delas é o significado da distância.
Ás vezes estás a milhares de km de certas pessoas e elas continuam do teu lado, bem perto. Há outro que estão fisicamente ao teu lado e a kms de distância de ti.

Tudo depende nós.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

4 dias

É o  que falta para voltar a ser feliz!

Nem acredito estou prestes a deixar estes país e voltar a casa!



segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Estrelinha da sorte

Ontem fui ao mercado de Benfica aqui em Angola. Comprei umas pulseiras e um tecido para a minha avozinha me fazer uma saia :) .
Tirou a carteirinha com dinheiro e pago. Vou me embora, estou a entrar no carro e vens 2 angolanos ter comigo com a carteirinha na mão a dizerem que caiu!

Bem depois do assalto o meu dinheiro e o meu computador não terem sido roubados, vem me entregar a carteira que deixo cair no meio do mercado... OK Tenho uma estrelinha da sorte que anda sempre comigo.


sábado, 9 de agosto de 2014

Aquelas coisas que não acontecem só nos filmes

Chego na hora de almoço, vejo a minha colega a chorar... " M.R assaltaram a nossa casa e levaram tudo! a J.P Estava lá dentro com a empregada, apontaram lhe um pistola, amarram-nas e meteram nas dentro de uma divisão mínima. Remexeram a casa toda e levaram tudo."

Fico gelada, mil coisas passam na minha cabeça, queria fugir dali.

Bem..

Saimos da clinica e fomos para casa e la estava a policia ... a casa virada... a J.P calma, mas ainda não estava nela.

A clinica mandou seguranças para casa e por cá vão ficar.

No meio desta historia....sorte teve comigo e a  menos lesada, remexeram a casa toda menos a minha gaveta da mesa de cabeceira onde tinha algum dinheiro, o meu computador foi o único que ficou porque estava à mão mas não no campo de visão deles. Levaram pcs, computadores cerca de  20 000  dolares em dinheiro, maquinas fotográficas. Meu foi um relógio e um telemóvel.

Dizem que tenho uma estrelinha da sorte.. é possivel!


sexta-feira, 8 de agosto de 2014

AMOR QUE É MESMO AMOR

(Cronica da Flash)
O melhor de amar alguém é ter a capacidade de mostrar como e o quanto amamos o outro. Amar não é só proteger o outro, ouvi-o e ajuda-lo, dar-lhe colo quando está carente e espaço quando precisa de ar; amar o outro está nos mais pequenos gestos, e por isso subscrevo Oscar Wilde quando diz que não há coisas nem grandes nem pequenas, todas são importantes.
Uma história de amor, para ser vivida a sério, precisa de ser alimentada todos os dias. Senão, não é amor, é outra coisa qualquer. Até pode ser uma grande paixão, regada a violentas doses de testosterona e de adrenalina, mas se o outro não estiver lá todos os dias para nós e nós para ele, não é uma história de amor. É um caso, uma aventura, um lance, como se diz no Brasil.
Um lance é um lance, um romance é um romance. Mesmo que duas pessoas não possam estar juntas todos os dias porque não vivem na mesma cidade ou trabalham em turnos diferentes, o amor obriga a que se telefonem e comuniquem sempre que podem, porque o amor é prioritário. E se um dia deixa de ser, então já não é amor. Pode ser companhia, encosto, conforto, preguiça de mudar, medo da solidão, mas já não é amor.
O amor é como um tsunami: inesperado, invasivo e letal. Quando nos apanha na curva, podemos fazer apenas uma de três coisas: fingir que não é nada connosco, baixar a cabeça e seguir em frente, recuar e resistir, ou abrir-lhe os braços e dizer: ok, vamos a isto.
Claro que nunca na vida é tão linear quanto parece: há quem corra atrás, faça tudo para conquistar o outro e depois entre em crise, há quem fuja à velocidade certa para ser apanhado quando quer e há quem fique quieto, sem se mexer, incrédulo e estupefacto, à espera que o outro faça um gesto profundamente dramático a ponto de nos fazer acreditar que é mesmo verdade. Nessa curva tão terna e lancinante em que o amor começa – e afinal tão parecida com a mesma curva terna e lancinante descrita por Alexandre o’Neill em Um Adeus Português que vai ser que já é o teu desaparecimento – quando amor acaba, é preciso saber respirar fundo e encarar a grande mudança que se aproxima com dignidade, elegância e respeito, porque existem apenas duas realidades que o Homem não controla: o Amor e a Morte.
Por amor, há quem mude de bairro, de cidade ou de país, há quem mude de emprego ou de casa. Porém, antes das mudanças exteriores, é necessário tempo e espaço para que o caos provocado por uma nova realidade se re-organize. O amor modifica-nos muito mais imaginamos. Por vezes, só alguns anos mais tarde nos apercebemos o que aprendemos com alguém que amámos e nos amou profundamente. O amor é ao mesmo tempo uma linguagem e uma aprendizagem, na qual a energia flui de formas tão evidentes quanto subtis, da cabeça aos pés, da razão ao coração, do consciente ao inconsciente, do passado ao futuro, vivido no presente a cada minuto, sem nos dar descanso ao mesmo tempo que nele encontramos toda a paz que precisamos. É o que nos faz adormecer a acordar sem nunca baixar os braços e a forma mais pura e difícil de respirar.
Um grande amor é como uma revolução: tudo muda de repente e depois demoramos muito tempo ajustar-nos à nova realidade. E quando ganhamos outra visão do mundo, precisamos de coragem para abolir a maneira antiga como víamos as coisas e adaptarmo-nos à nova vida que escolhemos. Se há cidades que mudam de nome e lugares onde nunca mais poderemos voltar, também há novas pontes por construir. E o futuro deixa de ser uma quimera para se tornar naquilo que queremos fazer dele. Dá trabalho, mete medo, mas se for mesmo amor, vale a pena. E se não for, morre pelo caminho.

MRP

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Faltam

11 dias para sair daqui para fora, apanhar um avião, ir para Portugal, esmagar o meu namorado de tantas saudades que tenho.
Esmagar a mae o pai o mano.
Ver os amigões do meu coração e rumo ao Algarve com o amor!

Ai ansiosaaaaaaaa

domingo, 3 de agosto de 2014

Turista em Angola - Luanda

Memorial AGostinho Neto

Entrada da Fortaleza 
Vista Fortaleza - Musseques

Vista Fortaleza - Musseques

sábado, 2 de agosto de 2014

Um dia vou ao cinema em Angola.. ONtem foi o dia!

Desde que cheguei aqui que se fala em ir ao cinema cá. Ouvia muitas histórias. Que a malta se ri, fala, faz o pino, bate palmas, tudo e mais alguma coisa.
Ontem tive a tarde livre, uma amiga minha saiu as 16.00 e la fomos nós, com direito a pipocas e tudo.
Fui ver o SEX TAPE adorei, que risada. A sala não estava muito cheia, sexta-feita a tarde, mas algumas pessoas, pequenas interacções mas gostei muito.

Experiência a repetir!