segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Não dá para agradar toda a gente

Este fim de semana aconteceu-me uma situação engraçada. Tenho um grupo de amigos que amo, somos muito unidos e apaixonados uns pelos outros.
Acontece muitas vezes juntarem-se pessoas, ou porque é minha amiga, ou porque é de x ou y e muitas vezes acontece sermos um grupo grande de pessoas.
Depois de alguma convivência, que já tivemos, vão ficando mais próximas e em muitos casos arrisco a chamar de amigas. 
Somos todas diferentes mas acima de tudo há um grande respeito e penso que é o ingrediente principal da nossa união.
Uma dessas amigas que ultimamente tem estado mais connosco disse a uma delas que eu era a pessoa que menos se identificava e que estava mais afastada. Ficou de peso na consciência por ter dito e este sábado veio ter comigo a contar-me o que disse, que tinha peso na consciência, que gostava muito de mim mas que era a que estava mais afastada e pediu-me muitas desculpas. Não levei nada a mal, até porque também é das pessoas que menos me identifico.

A verdade é que não sou de grandes amizades logo, tento me defender um pouco e só depois de algum tempo, de conhecer bem é que me entrego, ela já percebeu que sou assim.
Sou daquelas pessoas que quando gosto, dou tudo. Raramente me desiludo ( claro que já aconteceu ) porque me protejo muito.
Mas uma coisa é certa, quando me chegam ao coração, é para a vida. 




3 comentários:

  1. Não disse nada de mal, mas o facto de ter ficado com peso na consciência e ter-te contado era o suficiente para ganhar uns pontinhos comigo :p

    ResponderEliminar
  2. Eu sou das que adora preservar amigos.

    ResponderEliminar